18 agosto 2014

VIVER É LUTAR

Haverá crise de esperança?
Claro que sim. Seria até estranho, se assim não fosse.
Ninguém é de ferro. Mas, onde há crise, palpita a vida.
Ao  contrário dos  cemitérios, onde  domina o  silêncio
da morte...
Os motivos para as pessoas desanimarem e perderem
a esperança são tão numerosos como as areias do mar.
O mundo conturbado, as situações adversas, os escân-
dalos, os noticiários alarmantes, a desonestidade, a pre-
potência e as clamorosas injustiças, em tantas áreas; é
toda uma avalancha de negatividades a desafiar-nos, a
deitar-nos  abaixo, a  demolir, a  entristecer-nos, como 
um rolo compressor.
A  constatação é diária: há  homens fortes, que  ontem
viviam de esperança e agora baixam os braços.
Apóstolos, antes idealistas e fervorosos, mostram hoje
o seu cansaço e desalento.

Na dor ou na alegria
lembremo-nos  sempre:
Deus nunca fecha
uma porta sem abrir outra.

Do L: Agenda da Esperança.

Carinhoso Abraço a todos, Irmãos em Cristo*


Josélia Micael

Sem comentários: